Woman walking in a meadow in sunset

Causas dos desequilíbrios hormonais na síndrome dos ovários policísticos

Vários fatores contribuem para o desenvolvimento e manutenção da Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP), levando ao hiperandrogenismo e à anovulação. As principais causas são: estilo de vida sedentário, estresse e alta ingestão de carboidratos refinados.

Essas causas estão intrinsecamente interligadas, onde o ambiente influencia o sistema hormonal, as emoções, as crenças, os hábitos e o DNA, e vice-versa. Eles estão profundamente enraizados em nosso estilo de vida moderno. O consumo excessivo de carboidratos refinados e a falta de atividade física levam a níveis excessivos de glicose no sangue. Isto faz com que o pâncreas libere mais insulina, o que, por sua vez, afeta diretamente os ovários e as glândulas supra-renais, estimulando a produção de testosterona.

O sistema de comunicação química do corpo é governado por hormônios. Todas as glândulas do sistema endócrino estão interligadas, e o que afeta uma glândula inevitavelmente impacta as outras. O desequilíbrio dos hormônios sexuais produzidos pelos ovários afeta e é influenciado por outras glândulas. As supra-renais são responsáveis ​​pela secreção de cortisol, o hormônio do estresse, enquanto o pâncreas produz insulina e a glândula tireóide fornece tiroxina.

A SOP não é apenas uma condição física; é uma interação complexa de fatores ambientais, hormonais e psicológicos. Ao compreender estes factores interligados, podemos tomar medidas para gerir a SOP e melhorar o nosso bem-estar geral.

Fruits, nuts and berries

Excesso de insulina no pâncreas 

A dieta e um estilo de vida sedentário desempenham um papel fundamental no desenvolvimento da SOP. A ingestão excessiva de carboidratos refinados impacta diretamente a produção de insulina pelo pâncreas. Esta superestimulação da produção de insulina pode levar a um vício químico-emocional à glicose, uma condição que muitos de nós experimentamos sem sequer perceber.

O alto índice glicêmico de muitos alimentos comumente consumidos agrava ainda mais esse problema, pois desencadeia um aumento nos níveis de glicose na corrente sanguínea. Isso pode agravar a ansiedade, que, por sua vez, alimenta comportamentos alimentares compulsivos. Esse ciclo vicioso nos prende a uma relação viciante com o açúcar, exacerbando os desequilíbrios hormonais metabólicos que contribuem para a SOP.

A produção de excesso de testosterona pelo corpo é uma tentativa de compensar o excesso de insulina que circula na corrente sanguínea. Este mecanismo compensatório pode levar à resistência à insulina e, em alguns casos, ao pré-diabetes.

Abordar a SOP de forma eficaz requer uma abordagem abrangente que aborde tanto o estilo de vida quanto os fatores dietéticos. Ao reduzir a ingestão de hidratos de carbono refinados, aumentar a actividade física e adoptar hábitos de vida saudáveis, podemos libertar-nos do ciclo prejudicial do excesso de produção de insulina e testosterona, promovendo a saúde e o bem-estar geral.

Compreendendo e gerenciando o excesso de cortisol 

O estresse crônico, seja físico, mental ou emocional, pode levar a uma superprodução de cortisol pelas glândulas supra-renais. Este aumento constante de cortisol pode perturbar os processos naturais de regeneração do corpo, mantendo-o em estado de “alerta”. Esta perturbação pode ter um impacto significativo no equilíbrio hormonal, afetando particularmente os níveis de estrogénio e testosterona, tanto nos ovários como nas glândulas supra-renais.

Para restaurar a funcionalidade normal, é crucial abordar as fontes subjacentes de stress, tais como ansiedade, angústia, mal-entendidos e desvalorização que as mulheres podem sentir no seu ambiente. Esses fatores podem tornar ainda mais difícil para as mulheres com desequilíbrios hormonais recuperar a sensação de bem-estar.

A insulina também pode desempenhar um papel neste processo. Quando os níveis de insulina estão elevados, pode estimular as glândulas supra-renais a produzirem testosterona prematuramente, levando ao início precoce da menstruação e exacerbando ainda mais os desequilíbrios hormonais. ** Ao abordar o stress e gerir os níveis de insulina, podemos ajudar a restaurar o equilíbrio hormonal e promover a saúde e o bem-estar geral.

A uterus made of flowers

Excesso de andrógenos e estrogênios nos ovários

Quando os níveis hormonais masculinos estão consistentemente altos, eles podem suprimir a produção de hormônios sexuais femininos, perturbando o delicado equilíbrio que dita um ciclo menstrual saudável. Este desequilíbrio hormonal pode impedir que os óvulos se desenvolvam e amadureçam completamente, levando à menstruação irregular ou ausente.

No caso da Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP), muitas vezes há um desequilíbrio entre estrogênio e progesterona, com os níveis de estrogênio mais baixos do que o normal. Este desequilíbrio, juntamente com a produção excessiva de andrógenos e um excesso de estrogênio proveniente de poluentes ambientais e contraceptivos hormonais, pode complicar ainda mais a situação.

O estresse pode agravar o problema ao aumentar os níveis de prolactina, um hormônio que normalmente atinge seu pico durante a gravidez e a lactação. O aumento da prolactina pode suprimir ainda mais a ovulação.

Os hormônios andrógenos podem ser convertidos em estrogênios, levando à estimulação crônica do estrogênio. A androstenediona, um precursor da testosterona e dos esteróides, é produzida pelos ovários e pelas glândulas supra-renais.

A presença de poluentes ambientais, conhecidos como desreguladores endócrinos, pode imitar os efeitos do estrogénio no corpo, tornando difícil a produção suficiente de progesterona, uma hormona crucial para regular o ciclo menstrual e a saúde feminina em geral.

O uso de tratamentos hormonais, apesar de conterem progestágenos, pode piorar o desequilíbrio hormonal. O estrogênio e a progesterona sintéticos são finalmente metabolizados pelo corpo como estrogênio, perturbando ainda mais o delicado equilíbrio. Além disso, o fígado fica sobrecarregado e o corpo luta para eliminar o excesso de esteróides, levando a um acúmulo crônico de desequilíbrios hormonais.

A woman smiling

Como a cultura impede a aceitação da feminilidade

As influências culturais podem impactar profundamente o nosso bem-estar físico, particularmente a nossa saúde reprodutiva. O enfraquecimento das normas sociais, as emoções suprimidas e a desconexão dos ritmos naturais podem contribuir para desequilíbrios na função ovariana e no ciclo menstrual.

Sentimentos negativos sobre ser mulher, como sentir-se reprimida, subordinada ou inferior aos homens, podem prejudicar a atividade ovariana e a regularidade menstrual. Esta resistência inconsciente em abraçar a feminilidade pode resultar de raiva reprimida, crítica, culpa, medo e sentimentos de dependência.

Quando as mulheres se sentem sobrecarregadas por pressões externas e acreditam que não têm controlo sobre as suas circunstâncias, os seus ovários podem sofrer. Isto é especialmente verdadeiro se eles perceberem exigências excessivas que lhes são impostas e que sufocam sua criatividade e realização emocional.

O ressentimento e o desejo de vingança, combinados com a crença na impotência para mudar ou escapar de situações abusivas, podem pôr ainda mais em perigo a saúde ovariana. O corpo responde a essas cargas emocionais de forma rápida e prejudicial.

Gut microbiota illustrated by vegetables

Microbiota Intestinal

Nossos corpos estão repletos de um número incrível de bactérias, cada uma desempenhando um papel vital em nossa saúde geral. Esses organismos microscópicos, conhecidos coletivamente como microbiota intestinal, são essenciais para manter a função metabólica adequada e a saúde do sistema imunológico.

 Um equilíbrio saudável das bactérias intestinais é crucial para prevenir uma série de problemas de saúde, não apenas problemas digestivos, mas também distúrbios psicológicos, hormonais e imunológicos.

O desenvolvimento da microbiota intestinal começa no útero, tornando a saúde materna fundamental na formação do microbioma intestinal do bebé. O tipo de bactéria que coloniza o intestino do bebê também é influenciado pelo processo de parto e pelas práticas de amamentação.

Para nutrir e manter uma microbiota intestinal saudável, precisamos consumir alimentos ricos em probióticos e prebióticos. Os probióticos são bactérias vivas que podem beneficiar a nossa saúde quando consumidas em quantidades suficientes. Eles são encontrados em alimentos fermentados como iogurte, kefir e kombuchá, bem como em alguns suplementos.

Os prebióticos são fibras não digeríveis que servem de alimento para as bactérias benéficas do nosso intestino. Eles são abundantes em frutas, vegetais e grãos integrais. Ao incorporar uma dieta rica em probióticos e prebióticos, podemos nutrir a nossa microbiota intestinal e apoiar o nosso bem-estar geral.

Image illustration high blood sugar

Síndrome metabólica

A síndrome metabólica é uma condição complexa caracterizada por um conjunto de sintomas que aumentam o risco de desenvolver problemas graves de saúde, incluindo obesidade, diabetes, hipertensão e doenças cardíacas.

A progressão da síndrome metabólica geralmente segue um padrão cíclico: 

Hiperglicemia (nível elevado de açúcar no sangue): isso ocorre quando as células do corpo se tornam menos responsivas à insulina, um hormônio que ajuda a regular os níveis de açúcar no sangue.

Hiperinsulinismo compensatório (produção excessiva de insulina): O corpo tenta compensar a resistência à insulina produzindo mais insulina.

Hipoglicemia reativa (quedas repentinas de açúcar no sangue): ocorre quando a resposta à insulina do corpo é compensada excessivamente, levando a uma queda rápida nos níveis de açúcar no sangue.

Fome e humor flutuante: Esses sintomas são causados ​​pela montanha-russa dos níveis de açúcar no sangue.

Se alimentos ricos em açúcar forem consumidos repetidamente, esse ciclo vicioso pode continuar, piorando o quadro.

A produção excessiva de insulina promove o armazenamento de gordura, levando ao ganho de peso e maior resistência à insulina. Com o tempo, isso pode aumentar o risco de desenvolver síndrome metabólica e complicações associadas.

O gerenciamento da síndrome metabólica requer uma abordagem abrangente que aborde fatores de estilo de vida, como dieta, exercícios e controle do estresse. Ao fazer mudanças positivas nestas áreas, os indivíduos podem melhorar a sua saúde geral e reduzir o risco de desenvolver problemas de saúde graves.

Purple Vitex agnus castus plant

Inflamação sistêmica de baixo grau: um estado crônico de inflamação caracterizado por níveis elevados de marcadores inflamatórios na corrente sanguínea, muitas vezes devido a escolhas de estilo de vida pouco saudáveis, pode levar à síndrome metabólica a longo prazo.

Excesso de insulina ou hiperinsulinismo: A insulina, um hormônio produzido pelo pâncreas, desempenha um papel crucial na regulação dos níveis de açúcar no sangue e no gerenciamento do metabolismo da gordura. Depois de consumir os alimentos, a glicose entra na corrente sanguínea, fazendo com que o pâncreas libere insulina para transportar essa glicose para as células para produção de energia ou armazenamento como glicogênio.

Porém, no caso da síndrome metabólica, o excesso de glicose pode ser convertido em gordura devido à resistência à insulina, condição em que as células tornam-se menos responsivas à ação da insulina. Como resultado, o pâncreas produz insulina em excesso para compensar, levando a um ciclo vicioso de resistência à insulina, produção excessiva de insulina e maior armazenamento de gordura.

Resistência à insulina: mulheres com SOP frequentemente apresentam resistência à insulina, indicando que os receptores de insulina de suas células não estão respondendo de forma eficaz a esse hormônio. Esta resistência requer um nível mais elevado de insulina para manter os níveis normais de açúcar no sangue.

Diabetes: quando a produção de insulina se torna insuficiente para superar a resistência à insulina, o pâncreas fica "exausto" e não consegue mais atender à demanda de insulina do corpo, levando ao diabetes tipo 2.

Obesidade: o excesso de insulina não apenas regula a glicose, mas também influencia o metabolismo lipídico, promovendo a obesidade abdominal. Esse excesso de gordura não apenas armazena energia, mas também atua como órgão endócrino, produzindo hormônios e toxinas que podem agravar ainda mais a síndrome metabólica.

Risco cardiovascular: níveis excessivos de insulina podem contribuir para o acúmulo de lipídios e proteínas nas artérias, aumentando o risco de doenças cardiovasculares.

Câncer endometrial: A SOP tem sido associada a um risco aumentado de câncer endometrial, mas isso não se deve apenas à ovulação irregular. Mulheres com a tríade hipertensão, diabetes e obesidade, uma característica da síndrome metabólica, têm maior probabilidade de desenvolver câncer endometrial.

Addressing PCOS: Focusing on Symptoms or Root Causes?

Abordando a SOP: focando nos sintomas ou nas causas raízes?

As abordagens médicas convencionais para a SOP geralmente se concentram no controle de sintomas, como hirsutismo, acne e menstruação irregular, com hormônios sintéticos, como anticoncepcionais hormonais (pílulas anticoncepcionais) ou antiandrogênios. Esses tratamentos podem oferecer alívio temporário, mas não abordam os desequilíbrios hormonais subjacentes e os problemas metabólicos que contribuem para a SOP.

Suprimir os sintomas com hormônios sintéticos pode mascarar o problema, mas muitas vezes não resolve a causa raiz. Na verdade, o uso de anticoncepcionais hormonais pode piorar a resistência à insulina, um fator importante na SOP.

Uma abordagem mais holística da SOP concentra-se em restaurar o equilíbrio hormonal e abordar os problemas metabólicos subjacentes. Isso pode envolver mudanças no estilo de vida, como:

Mudanças na dieta: adotar uma dieta saudável rica em grãos integrais, frutas, vegetais e proteínas magras pode ajudar a melhorar a sensibilidade à insulina e reduzir a inflamação. ** Exercício regular: praticar atividade física regular pode ajudar a diminuir os níveis de insulina, reduzir a gordura corporal e melhorar o bem-estar geral.

Gerenciamento do estresse: o estresse crônico pode contribuir para desequilíbrios hormonais e piorar os sintomas da SOP. A implementação de técnicas de redução do estresse, como ioga, meditação ou respiração profunda, pode ajudar a aliviar o estresse e melhorar a saúde geral.

Suplementos: certos suplementos, como mio-inositol e D-quiro-inositol, podem ajudar a melhorar a sensibilidade à insulina, reduzir os níveis de andrógenos e regular a ovulação.

Embora essas mudanças no estilo de vida possam exigir mais esforço e paciência, elas podem oferecer benefícios de longo prazo para o gerenciamento da SOP e para a melhoria da saúde geral.

Lembre-se de que a saúde não se trata apenas da ausência de doenças; trata-se de alcançar um estado de completo bem-estar físico, mental e social.

Ao abordar as causas profundas da SOP, em vez de simplesmente tratar os sintomas, podemos trabalhar para uma vida mais saudável e equilibrada.

Image illustrating a healthy uterus

Como prevenir os ovários policísticos?

Liberte sua mulher interior: um caminho para a cura

Ser mulher traz consigo forças e dons incríveis. Esta jornada ajuda você a descobrir e abraçar essas qualidades para ser mais feliz e saudável.

Veja como começar:

Aprenda sobre feminilidade:
Leia ou ouça sobre o poder único das mulheres, tanto por dentro quanto por fora.

Cuide-se:
Faça coisas que façam você se sentir bem, como banhos relaxantes ou passar tempo com seus entes queridos.

Conecte-se com outras mulheres:
Encontre um grupo de mulheres solidárias para compartilhar experiências e construir amizades.

Pense em seus modelos femininos:
Como as mulheres da sua vida moldaram você?

Deixe de lado a negatividade:
Perdoe a si mesmo e aos outros pelas mágoas do passado.

Siga seus sentimentos:
Esteja aberto para expressar suas emoções de maneiras saudáveis, como arte ou música.

Passe algum tempo na natureza:
Faça caminhadas, sinta o sol e aprecie a beleza ao seu redor.

Ouça sua intuição:
Confie em seus sentimentos viscerais e explore seu lado espiritual.

Crie um espaço seguro:
Crie um lugar onde você se sinta confortável sendo você mesmo.

Ouça seu corpo:
É o seu guia incrível! Preste atenção às suas necessidades.

Lembre-se, ser mulher é abraçar todos os seus lados, fortes e gentis. Ao honrar sua feminilidade, você desbloqueará um mundo de alegria, conexão e paz interior.

Food that has low glycemic index

Equilibrando os níveis de insulina com escolhas alimentares

Gerenciar os níveis de insulina é crucial para a saúde geral, especialmente para aqueles com resistência à insulina ou SOP. Alcançar esse equilíbrio envolve fazer escolhas alimentares informadas para regular o açúcar no sangue e prevenir picos de insulina.

Compreendendo o Índice Glicêmico (IG) 
O índice glicêmico (IG) é uma medida da rapidez com que um alimento aumenta os níveis de açúcar no sangue. Alimentos com IG alto causam um rápido aumento no açúcar no sangue, enquanto aqueles com IG baixo liberam glicose mais lentamente.

Moderando a ingestão de carboidratos
Um fator chave na regulação dos níveis de insulina é limitar os carboidratos refinados, que têm um IG alto e podem levar a flutuações de açúcar no sangue. Isso inclui alimentos processados, bebidas açucaradas e pão branco.

Priorize carboidratos de baixo IG
Em vez disso, concentre-se em incorporar carboidratos de baixo IG em sua dieta. Isso inclui grãos integrais, frutas, vegetais e legumes. Grãos integrais, como arroz integral e quinoa, contêm fibras, o que retarda a absorção de glicose na corrente sanguínea.

Refeições menores e mais frequentes
Comer refeições regulares em intervalos regulares ajuda a manter níveis estáveis ​​de açúcar no sangue. Evite pular refeições ou comer lanches noturnos, pois isso pode levar a picos de insulina.

Proteína: um aliado saciante
Incluir proteínas em cada refeição pode ajudar a controlar a fome e reduzir os picos de insulina. As proteínas demoram mais para serem digeridas do que os carboidratos, contribuindo para uma sensação de saciedade e estabilizando os níveis de açúcar no sangue.

Incorpore ácidos graxos ômega-3
Essas gorduras essenciais, encontradas em peixes gordurosos como salmão, cavala e sardinha, têm propriedades antiinflamatórias e podem melhorar a sensibilidade à insulina.

Lidando com desequilíbrios da flora intestinal
Um microbioma intestinal saudável desempenha um papel vital na regulação dos níveis de insulina. Os desequilíbrios nas bactérias intestinais podem contribuir para a resistência à insulina e problemas metabólicos. Probióticos e prebióticos podem ajudar a restaurar o equilíbrio das bactérias intestinais e promover a sensibilidade à insulina.

Procure orientação profissional
Se você tiver dificuldade em controlar os níveis de insulina, apesar das mudanças no estilo de vida, considere procurar orientação de um profissional de saúde ou nutricionista registrado. Eles podem avaliar suas necessidades individuais e fornecer aconselhamento personalizado.

Lembre-se de que equilibrar os níveis de insulina é uma jornada, não uma solução rápida. Ao fazer escolhas alimentares informadas e abordar os fatores do estilo de vida, você pode cuidar da sua saúde e melhorar a sensibilidade à insulina para um bem-estar a longo prazo.

Viva em harmonia com o ciclo da natureza: melhore a sua saúde

Além de fazer escolhas alimentares saudáveis, é igualmente importante respeitar os ritmos naturais do seu corpo para promover o bem-estar geral.

Exposição diurna consciente à luz natural Tomar sol diretamente é uma maneira fantástica de expor seu corpo à luz solar natural, que atua como um sinal para o hipotálamo e a glândula pituitária, influenciando a ovulação. Durante a noite, procure um ambiente de sono escuro e tranquilo para permitir a produção ideal de melatonina.

Evite estimulação perturbadora antes de dormir
Elimine estímulos audiovisuais e eletromagnéticos, como usar telefone, computador ou televisão antes de dormir. Esses dispositivos emitem luz azul, que pode interferir na produção de melatonina e atrapalhar os padrões de sono.

Desbloqueie o poder da melatonina para dormir melhor
A melatonina, um hormônio liberado durante o sono, desempenha um papel crucial na regulação dos ritmos naturais do corpo. Possui propriedades antioxidantes e apoia a saúde metabólica. À medida que envelhecemos, a produção de melatonina diminui, mas a suplementação pode ajudar a melhorar a qualidade dos óvulos e aumentar a fertilidade.

Respeite o ritmo circadiano de ingestão de alimentos
Alinhe a ingestão de alimentos com os ritmos naturais do seu corpo. Coma durante o dia e evite lanches noturnos. Aproveitando o jejum noturno natural, estudos demonstraram que jantar cedo e/ou tomar café da manhã tarde pode trazer inúmeros benefícios à saúde.

Ao alinhar conscientemente o seu estilo de vida com os ritmos circadianos do seu corpo, você pode promover a saúde geral, aumentar a fertilidade e melhorar a qualidade do sono.

A woman dancing in the kitchen

Libere seu poder criativo por meio de exercícios e autocuidado

A criatividade, simbolizada pelos ovários, é uma parte inerente do seu ser, independentemente do seu corpo físico. Assim como a criatividade é uma força vital no mundo, é igualmente essencial para o seu bem-estar. Dedique pelo menos uma hora por dia ou semana para se envolver em atividades criativas que ressoem em você. Lembre-se de que a criatividade é um processo dinâmico e em evolução, então explore novos caminhos e deixe sua imaginação guiá-lo.

O exercício físico desempenha um papel crucial no gerenciamento da SOP e na promoção da saúde geral. Estimula o metabolismo, melhora a digestão e a circulação, auxilia na desintoxicação, ajuda a reduzir os níveis de glicose e insulina no sangue e contribui para a perda de peso. Além disso, o exercício pode efetivamente reduzir os níveis de estresse.

Ao escolher atividades físicas, considere suas preferências e selecione aquelas que promovam sentimentos de alegria e contentamento. Incorpore exercícios que complementem seu ciclo menstrual e se alinhem com seus níveis de energia atuais. Abrace atividades que promovam a redução do estresse, como ioga, chi-kung ou tai chi.

Para um gerenciamento ideal da saúde e da SOP, procure fazer pelo menos 30 minutos de exercícios de intensidade moderada, como caminhada rápida, natação ou ciclismo, cinco dias por semana. Se possível, aumente gradualmente a duração para 60 minutos.

As técnicas específicas direcionadas aos ovários incluem:

Ioga Tantra e Kundalini Yoga:
Essas antigas práticas indianas promovem relaxamento profundo, fluxo de energia e equilíbrio hormonal.

Respiração Ovariana do Tao: 
Originária da Medicina Tradicional Chinesa, esta prática envolve respiração e visualizações específicas para melhorar a saúde ovariana.

Sistema Respiratório Ovariano da Alquimia Feminina: 
Desenvolvido por Sajeeva Hurtado, este sistema orienta as mulheres através de uma série de exercícios para estimular e harmonizar a função ovariana.

Dança do ventre: 
Esta forma de movimento rítmico e expressivo não só fortalece os músculos abdominais, mas também promove a liberação emocional e o bem-estar geral.

Ao incorporar exercícios regulares, expressão criativa e práticas de autocuidado em sua vida, você pode aproveitar a energia vital de seus ovários, promover a saúde geral e cultivar uma conexão mais profunda com seu eu autêntico.

A woman doing yoga by the sea in sunset

Vitaminas, minerais e plantas que ajudam na síndrome dos ovários policísticos

Vítex agnus castus, ou Chasteberry, ajuda tanto a reverter todos os sintomas da SOP quanto as causas que os geram, de forma segura e natural.

Esta bela planta mediterrânea é uma grande aliada da saúde da mulher. Hipócrates já o recomendava na Grécia Antiga. Está catalogada pela Agência Europeia de Medicamentos como planta medicinal e a sua tintura como “uso tradicional”.

Atua na glândula pituitária, órgão neuroendócrino localizado na base do cérebro, responsável por controlar a produção hormonal, tanto dos hormônios sexuais femininos pelos ovários quanto da insulina pelo pâncreas. Ajuda a corrigir distúrbios hormonais que causam a maioria dos problemas ginecológicos.

No caso da SOP: excesso de insulina, testosterona e estrogênio e falta de progesterona. Ajuda a regular o ciclo menstrual, o desenvolvimento e a maturação dos óvulos e melhora a fertilidade em mulheres com diagnóstico de SOP. Seu uso é compatível com outras vitaminas, minerais e plantas (já os descrevemos anteriormente).

Drops of Ginevitex put into a glass

GINEVITEX® Suplemento alimentar que atua como
REGULADOR HORMONAL NATURAL

GINEVÍTEX ® é uma tintura ecológica 100% natural feita com amor a partir de ingredientes da mais alta qualidade da Espanha: frutas, folhas e essência floral da planta Vítex agnus castus ou Chasteberry e bagaço orgânico.

Modo de usar: Recomenda-se tomar 1 ml ao dia, dissolvendo as gotas em água ou suco. É tomado todos os dias em 1 ou 2 doses, antes do pequeno almoço e do jantar.

A ação regulatória melhora com o tempo, recomenda-se tomar por pelo menos 6 meses.

Nutrientes para ajudar a controlar a SOP

Aqui está uma visão mais detalhada de alguns dos suplementos mais benéficos:

Cinnamon: This flavorful spice boasts a remarkable anti-inflammatory effect and significantly lowers insulin levels in women with PCOS.

Cálcio, vitamina D3 e vitamina K: 
Esses nutrientes trabalham juntos para melhorar o equilíbrio hormonal e reduzir o estresse oxidativo prejudicial.

Ácido fólico: 
Foi demonstrado que a suplementação de folato neutraliza os fatores inflamatórios e o estresse oxidativo associados à SOP.

Ácido alfa-lipóico: 
Esta potência antioxidante ajuda a regular os níveis de açúcar no sangue e a apoiar a função saudável da insulina.

Cúrcuma: 
Rica fonte de curcumina, a cúrcuma apresenta potentes propriedades antiinflamatórias e antioxidantes, auxiliando na redução da resistência à insulina.

Canela: 
Esta saborosa especiaria possui um notável efeito antiinflamatório e reduz significativamente os níveis de insulina em mulheres com SOP.

Estévia: 
Adoçante natural com propriedades antidiabéticas, a estévia pode ser usada como alternativa ao açúcar sem os efeitos adversos dos açúcares refinados.

Vitamina E + Ácidos Graxos Ômega-3: 
Esses nutrientes melhoram o perfil lipídico e reduzem o estresse oxidativo, contribuindo para o controle geral da SOP.

Picolinato de magnésio, zinco e cromo: 
Esses minerais atuam em sinergia para combater o estresse oxidativo e promover um equilíbrio hormonal saudável.

Selênio: 
Foi demonstrado que a suplementação de selênio melhora o metabolismo da insulina, os níveis de triglicerídeos e os níveis de lipoproteína de muito baixa densidade (VLDL).

Lembre-se de que a SOP é uma jornada que dura a vida toda e encontrar o que funciona melhor para você pode envolver tentativa e erro. Seja paciente consigo mesmo e busque o apoio de profissionais de saúde e recursos confiáveis ​​para navegar pelas complexidades do gerenciamento da SOP. Com compaixão e escolhas informadas, você pode capacitar-se para controlar seus sintomas e alcançar uma vida mais saudável e gratificante.

Fonte: https://ginevitex.com/sindrome-de-ovarios-poliquisticos-sop/

Ginevítex® Ginevítex® Hormonal Balance, 30ml - Elliotti
Ginevítex® Ginevítex® Hormonal Balance, 30ml - Elliotti

Reequilibre seus hormônios com Ginevítex®

Ginevítex® é um suplemento natural para o equilíbrio hormonal devido ao seu extrato líquido de Vitex agnus castus, uma erva medicinal mediterrânea conhecida por sua capacidade de regular naturalmente os hormônios. Ginevítex® é fabricado na Espanha.

Fonte de informação: ginevitex.com

Como o Ginevítex® pode ajudá-lo com seus problemas ginecológicos?